Monday, November 30, 2015

MÁSCARA: «Aos outros, sorris. A ti, lavas-te de lágrimas.»



MÁSCARA

Mascaras-te
Na madrugada.

Crias-te, Vestes-te,
Levantas-te e segues,
No andar confiante,
Gritante, no teu íntimo.

Aos outros, sorris.
A ti, lavas-te de lágrimas.

Aos outros, és feliz.
A ti, adormeces na concha.

Na concha do desespero.

De máscara, te moldas
Num modelo feito de cristal
Que cintila ao sol e de som
Ouve-se o tinir quebrado:
Teu sonho de brado:
FELICIDADE!

Aos outros, és sério.
A ti, rebolas-te na areia.

Aos outros, falas.
A ti, cantas, danças...
... porque és um ser FELIZ!

 Isabel Montes

in Revista Digital «Efémera» de novembro/2015

3 comments:

Louraini Christmann - Lola said...

As máscaras são terríveis, às vezes.
Outras vezes, não incríveis
E necessárias.
(... e rendem poesia...)
Aqui, uma bela poesia.

Abraço
e meu desejo de um
abençoado tempo de Natal.

Maria Isabel Montes said...

Obrigada, Louraini Christmann - Lola!

Uma abraço
e votos de um Feliz Natal!

Jardim de Infância de S. Matias said...

Gostei!